Todos devem ter ouvido falar no resgate dos Beagles do Instituto Royal há alguns anos. Várias emissoras de TV (algumas com reportagens duvidosas) cobriram as manifestações e os fatos da polemica que envolveu o uso de cachorros da raça beagle para testes farmacológicos.

Na época da manifestação, eu estava lá, em frente ao Instituto Royal, em São Roque para protestar contra as práticas descabidas do Instituto e pelo FIM dos testes em animais.

foto 4

foto 2

Eu sempre fui contra os testes em animais, mas somente depois que me tornei vegetariana essa questão virou uma prioridade para mim: não uso (evito ao máximo) produtos testados em animais e opto por produtos veganos, que não contenham ingrediente animal de nenhum tipo na sua formulação.

Muitos biólogos, cientista s e médicos defendem os testes em animais dizendo que é um mal necessário e que os ativistas da causa não sabem do que estão falando. Porém, existem médicos que defendem e lutam pelo FIM dos testes em animais. Em matéria da revista VEJA, o médico Ray Greek defende que a pesquisa com animais para fins médicos não faz o menor sentido:

 “As drogas deveriam ser testadas em computadores, depois em tecido humano e daí sim, em seres humanos. Empresas farmacêuticas já admitiram que essa será a forma de testar remédios no futuro.”

book

Dr.Ray Greek é autor de 6 livros (um deles é esse acima –  Como a genética e a evolução revelam porque testar em animais prejudicam os humanos) e diz que seus argumentos contra o uso de animais para testes não é de cunho moral nem ético e sim de evolução cientifica.

“Testar em animais não nos dá informações sobre o que irá acontecer em humanos. Assim, você pode testar uma droga em um macaco, por exemplo, e talvez ele não sofra nenhum efeito colateral. Depois disso, o remédio é dado a seres humanos que podem morrer por causa dessa droga.” – defende o médico.

No Brasil, um dos nomes mais respeitados no assunto o BIÓLOGO formado pela UNICAMP, Sergio Greif, é co-autor do livro “A Verdadeira Face da Experimentação Animal” e autor do livro ” Alternativas ao Uso de Animais Vivos na Educação” gravou uma entrevista para um programa de radio dando uma maior explicação sobre o assunto. Para OUVIR a entrevista, clique AQUI.

“A vivissecção nunca funcionou, mas é oficial porque todo mundo a pratica, é só isso que a oficializa. A sua saúde está em perigo porque você é uma eterna cobaia. Estão colocando no mercado coisas que não são seguras ou estão deixando de colocar coisas que são seguras porque mataram animais.” -segundo o biólogo Sergio Greif.

Os testes feitos em animais são absurdamente cruéis e ultrapassados. Alguns arremessam animais contra a parede para ver os possiveis danos de uma batida de carro, outros matam metade de populações de animais para saber o grau toxicológico de uma substancia e por ai vai. Um bom filme para se integrar do assunto é o documentário “Não Matarás” feito pelo Instituto Nina Rosa.

Outro video bem explicativo é esse do nutricionista vegetariano, George Guimarães – ele explica um pouco sobre o instituto e também sobre os testes. Vale a pena ver!

Os animais não estão nesse planeta para nosso bem estar, prazer e muito menos para darem as vidas em prol do nosso bem. Métodos alternativos existem aos montes e muitas empresas brasileiras já os utilizam com ótimos resultados.(A Natura é um bom exemplo disso.) Os testes em animais são arcaicos e antiquados e a ciência tem que evoluir assim como nos evoluímos como seres humanos e habitantes desse planeta.

Se você quer fazer a sua parte e pressionar as empresas a pesquisarem, evoluírem e usar outros métodos para os testes de seus produtos, aí vão algumas coisas que você pode fazer:

  1. Não compre das empresas que testam em animais. Apoie as que se esforçam e não testam nos bichinhos! Para saber quais são, clique AQUI.
  2. Se a marca que você gosta testa em animais ou não consta na lista, mande um email perguntando porque e dizendo que você como consumidor quer produtos “sem crueldade”.
  3. Assine a petição para o fim dos testes em animais para cosméticos no Brasil, a exemplo na União Européia, AQUI.
  4. Assine a petição contra o uso de animais pelo Instituto Royal, AQUI.
  5. Assine a petição para que o selo “cruelty free” seja obrigatório no Brasil, AQUI.
  6. Compartilhe essas informações!
  7. E por fim, pesquise muito, para construir seus próprios argumentos!

cruelty-free-300x295


Links para consulta

http://veddas.org.br/artigos/6-experimentacao-animal.html

http://www.gocrueltyfree.org/shopper

http://www.pea.org.br/crueldade/testes/

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/“a-pesquisa-cientifica-com-animais-e-uma-falacia”-diz-o-medico-ray-greek

http://defensoresdosanimais.wordpress.com/entrevistas/entrevista-sergio-greif/